Apta

1.º Simpósio Internacional sobre equipamentos de proteção na aplicação de agrotóxicos

Pela primeira vez, profissionais e pesquisadores na área de equipamentos de proteção individual (EPI) para a aplicação de agrotóxicos reúnem-se para harmonizar os conceitos de seleção e recomendações de vestimentas de proteção individual. Será durante o “1.º Internacional Symposium on PPE for Agricultural Pesticide Operator: Approch for Adressing PPE Issues”, nos dias 6 e 7 de agosto em Campinas (SP). O evento é promovido pelo Instituto Agronômico (IAC-APTA), vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento.
Os especialistas de vários países na área de EPI vão trocar informações sobre formas técnicas para as diferentes maneiras do uso da vestimenta de proteção na agricultura, bem como treinamento e experiências sobre seleção e recomendação de EPI. O IAC participou da equipe da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e da Organização Internacional de Normatização (ISO) que desenvolveu normas adequadas para ensaios em EPI para a área agrícola, até então inexistentes no País. “O Brasil é o único País que possui estudos com EPI em clima tropical; por isso há um grande interesse”, afirma Hamilton Humberto Ramos, diretor-geral do IAC.
Para Ramos, a idéia da criação do Simpósio surgiu durante as discussões das normas para o EPI no Brasil. Os pesquisadores e profissionais tiveram contato com pessoas de todas as partes do mundo e assim perceberam as diversas realidades, necessidades e formas de produção dos EPIs.
O Instituto, além de ser um dos organizadores do Simpósio, também apresenta os seus trabalhos e resultados sobre os ensaios com vestimentas de proteção para riscos químicos com agrotóxicos. Ramos e a responsável pelo Laboratório de Qualidade de Vestimentas de Proteção para Riscos Químicos com Agrotóxico do IAC, Viviane Correa Aguiar, apresentam a palestra PPE Requirements and Certification in Brazil.
Em 2011, o IAC avaliou 116 vestimentas de proteção individual para riscos químicos com agrotóxicos de diferentes fabricantes e modelos. Os resultados desses testes apontaram que 60% das vestimentas analisadas atendiam ao padrão mínimo de qualidade. Aguiar destacou a falta de uniformidade entre o tecido da mesma amostra e percentual de vestimentas que foram reprovadas nos ensaios das costuras.
O Laboratório de Qualidade do IAC é reconhecido pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) para a avaliação das vestimentas. Antes da normalização, os fabricantes de EPIs assinavam um termo (Certificado de Aprovação – CA), no MTE, no qual se comprometiam que a vestimenta possuía a qualidade necessária. Atualmente, para obter a CA, é preciso laudo que comprove a qualidade da vestimenta.
Desde 2006, o Instituto possui o Programa IAC de Qualidade em Equipamentos de Proteção Individual na Agricultura (Quepia). Esse é o primeiro programa de certificação voluntária de qualidade dentro da área de segurança na agricultura. Como fato histórico, o 1.º Certificado de Aprovação no Brasil, emitido pelo MTE para vestimentas de proteção com base em padrões de qualidade, teve laudo emitido pelo IAC.
Evento
O 1.º Internacional Symposium on PPE for Agricultural Pesticide Operator: Approch for Adressing PPE Issues será realizado na sede do IAC, em Campinas. A promoção do evento tem a parceria da Associação Nacional de Defesa Vegetal (ANDEF) e da Associação Nacional da Indústria de Material de Segurança e Proteção ao Trabalho (Animaseg). São 120 vagas e as palestras terão tradução simultânea.
Serviço:
Local: Sede do IAC - Avenida Barão de Itapura, nº 1481 – Campinas/SP
Data: 06 e 07 de agosto
Inscrição: http://www.ppesymposium.com.br/
Investimento: R$ 200,00
Assessoria de Imprensa do IAC
Mônica Galdino
(19) 2137-0613/0616
Assessoria de Comunicação da APTA
José Venâncio de Resende
(11) 5067-0424

Pin It

Notícias por Ano